terça-feira, novembro 23

Paul e eu

Lembro das manhãs de domingo e dos vinis. Entre muitos nacionais, dois eram dos Beatles. Esses foram momentos muito marcantes em casa, por volta dos anos 80.

Fora de casa, onde quer que eu estivesse, eles apareciam. Nunca fui do time dos maníacos, mas acho incompreensível alguém não gostar (generalizando e correndo o risco de levar vaias). Tenho minhas músicas preferidas que estão entre as preferidas do mundo inteiro.

E há poucos dias estive há poucos metros de um deles. "Poucos metros" parece até que dei um esbarrão em McCartney, né? Mas como nós dois entávamos dentro do espaço de um campo de futebol, sim, posso dizer que poucos metros nos separavam.

A sensação era de surrealidade. Ele é um Beatle (no presente mesmo). E estava ali.

Confesso que ignorei totalmente as músicas da carreira solo; nesses momentos eu observava seus trejeitos, seus movimentos e seus detalhes mostrados no telão.

Mas, quando reconhecia os acordes, aí o êxtase por vê-lo tocando músicas que nunca pensei que veria e ouviria sendo tocadas por um deles tomava conta.

Berrei em Drive My Car, chorei em The Long and Widing Road e tive parada cardíaca durante os minutos de Something.

E Sir Paul se mostrou um rapaz de quase 70 muito distinto, simpático e... FOFO! Tentei achar outros adjeitvos mais "adultos" e imparciais mas fofo é o que melhor descreve. E a fofura dele tomou conta de um estádio lotado. Lotado de gente de todas as idades como eu nunca havia visto em nenhum outro evento.

Todos apaixonados emanando e recebendo amor.


3 comentários:

maria eme bê disse...

também fico puta com essa história de "ex-beatle". ex-beatle é o caralho, ele É UM BEATLE. e eu também vi 'de perto' e... ai como foi bom!

Zeca Forehead disse...

Defuder. Aplaudo todo esforço que alguém possa fazer para ter este tipo de esperiência com um artista de quem seja fã. PS: seu blog novo é beeeem mais legal e bonito, Palomita!

aliche disse...

Nossa! Me emocionei com seu texto imagino o show... Assisti o show pela televisão. Sessão de calafrios, lágrimas e arrepios! Ai ai.
Como quiz estar presente nesse momento, afinal de contas, sabe Deus se acontecerá outro! Eu fico aqui aguardando na esperança de que sim.