sexta-feira, maio 20

A novela do bacon

Camiseta Ilustrês de Rodrigo - foto de Biscaia

Ontem fui almoçar no meu restaurante preferido em Downtown: o Crepeville. E aconteceu uma das coisas mais surreais, e comuns por relatos de outros brasileiros que estão nos EUA: mesmo falando a palavra corretamente, com a pronúncia correta em inglês, não somos entendidos.

Nesse restaurante é possível montar seu crepe, escolhendo os recheios. Simples, muito simples. Comecei com: "cheese (queijo), ham (presunto), tomatoes (preciso traduzir?) and bacon". A garçonete não entendeu o último ingrediente. 


Bacon, repeti, pronunciando do mesmo jeito que usamos no Brasil: "beicon". E ela continuou sem entender. Na quinta vez que falei a mesma palavra - a contagem é literal - comecei a questionar se bacon era bacon em inglês ou se eu estava me confundindo. Afinal, aqui, essa parte do porco não é uma especiaria exótica. Eles comem bacon no café da manhã, almoço e jantar. 

Mas a incompreensão da garçonete foi tão grande que eu realmente duvidei do meu HD interno e pensei estar confundindo tudo e já misturando todas as línguas. 

Em algumas situações, quando não sei falar direito alguma palavra muito específica, procuro formas de descrever a coisa. Mas pô, bacon??? Na hora, no auge do improviso, só consegui soltar um "like pork, understand?". E ela continuava me olhando com cara de interrogação. 

Até que repeti mais uma vez, de uma jeito já meio desesperado e, sei lá porque, finalmente ela entendeu do que se tratava. 

Tudo bem que meu sotaque não é como dos nativos, mas isso acaba com a auto-estima linguística de qualquer pessoa que está aprendendo um novo idioma

Se eu já tinha trauma de wafle, que aqui se fala "uófou", agora nunca mais terei coragem de repetir BACON em voz alta. 

Crepeville


5 comentários:

gusathayde disse...

relaxa! ela é só uma mader foquer normal!

tubra disse...

Me lembrei de quando eu tava em Toronto, recém-chegado, procurando uma Lan House pra mandar um e-mail pra familia, dar noticias, etc... perguntei a umas 3 pessoas, todas fazendo cara de "WTF??"...até que expliquei pra uma senhora em detalhes, e ela "aaaaahh, internet cafe!!". E a minha cara de imbecil na hora? hehe

Paloma disse...

essa história também me lembra quando eu, no Target, fui procurar uma capa pro meu notebook... e eu falava notebook e o vendedor só me olhava estranho.. até descobrir que eu queria um case para laptop - pq notebook é caderno, no fim das contas! rs

RAMON(ES) disse...

Rapaz, que bizarro essa história do bacon. Contando assim parece pegadinha do Malandro ou algo do tipo.

Agora isso de Lan House, Notebook... malditos somos nós que ficamos usando essas palavras em inglês que na língua original não significam o que realmente são. ehehehehe

Paloma disse...

Exatamente Ramon! Isso que é doido, né? Usamos palavras, em inglês, que aqui, não têm o mesmo sentido. ;)